É cada dia mais difícil diferenciar produtos e serviços apenas com base em seus atributos. A concorrência é acirrada em todas as frentes e manter algum tipo de exclusividade é uma missão quase impossível. É nesse contexto que as estratégias de marketing se tornam cada vez mais imprescindíveis.

Mas como planejar, executar e mensurar adequadamente as iniciativas nessa área? Só existe um caminho seguro: dedicar tempo e recursos para a elaboração de um plano de marketing que consiga orientar as atividades.

Os recursos estão escassos para todo mundo, e cabe aos gestores das marcas otimizarem as verbas e justificarem cada centavo investido na empresa. Pense nisso: é justamente na hora de elaborar o plano de marketing que o profissional consegue analisar com mais cuidado as oportunidades existentes para o negócio.

Para que esse trabalho seja assertivo, porém, é preciso atentar para todos os fatores que podem impactar no sucesso ou no fracasso da estratégia. É esse o tema do post de hoje. Vamos mostrar para que serve e como o plano de marketing deve ser estruturado. Vamos lá?

Qual a utilidade do plano de marketing?

O plano de marketing é a base para o planejamento, a execução e a mensuração das ações que serão realizadas pela empresa para aprimorar a oferta e a divulgação de suas atividades.

Resgatando os princípios básicos do marketing, é importante lembrar que a comunicação é apenas um dos pilares dessa atividade. Tenha em mente que o objetivo é identificar e atender às exigências do consumidor, ou seja, é preciso recorrer a diversas iniciativas antes de chegar, propriamente, na campanha publicitária.

Mas é impossível desenvolver um projeto desse tipo sem planejamento. Pense nisso: o improviso na maioria das vezes é prejudicial ao bom andamento dos negócios. 

Parece óbvio, mas infelizmente ainda há quem pense no planejamento como uma forma de “engessar” a operação. Nada mais errado, até porque ao organizarmos melhor as atividades conseguimos, por exemplo, preparar a operação para aproveitar as oportunidades que surgem a todo o momento.

Como fazer um plano de marketing mais assertivo?

Antes de abordamos de forma mais detalhada a estrutura do plano de marketing, um lembrete: o ideal é que esse programa faça parte do plano de negócios, documento mais abrangente e focado no desenvolvimento do empreendimento como um todo.

E lembre-se que o documento deve ser tratado como um guia não apenas para o marketing, mas para todas as áreas.

É importante fazer essa distinção porque ela confirma a necessidade desse tipo de documento ser preparado a partir de uma visão integrada do negócio, o que exige contar com as competências de diversos setores.

Não é possível, por exemplo, abrir mão da contribuição dos profissionais das áreas de vendas ou do financeiro na hora de traçar as previsões.

Quais itens não podem faltar?

Não existe uma proposta única para os itens que devem ser inseridos no plano de marketing, até porque é preciso considerar a natureza das atividades exercidas pela empresa. Porém, as boas experiências nessa área confirmam que é preciso incorporar as orientações listadas a seguir.

Defina os objetivos

Partindo do princípio de que a organização já tem um plano de negócios, no qual estão documentadas as metas, o plano de marketing indicará como os objetivos traçados para o negócio serão alcançados no curto, médio e longo prazos.

Atuar com períodos bem definidos é fundamental para garantir que as conquistas sejam obtidas de forma escalonada. Ou seja, podemos começar com ações simples, visando resultados menores, e evoluir até alcançar patamares mais interessantes.

O principal é definir os objetivos já prevendo, inclusive, como será feita a mensuração dos resultados. Mas lembre-se de que não estamos falando de um processo estanque, e sim dinâmico e que precisa ser avaliado em períodos regulares, predefinidos no planejamento.

Analise o comportamento do consumidor

O objetivo de qualquer empresa, independentemente do porte ou área de atuação, deve ser atender bem o cliente e, se possível, superar suas expectativas, encantá-lo.

Porém, para alcançar esse ideal, é preciso conhecer muito bem o comportamento do consumidor. Essa é a base para qualquer estratégia de marketing, mas nem sempre as empresas dão a devida atenção ao assunto.

É comum, por exemplo, vermos decisões importantes sendo tomadas tendo como referência apenas as necessidades do próprio empreendimento. É claro que esse é um fator importante, no entanto é necessário analisar a demanda e as exigências do consumidor.

Como chegar às informações para elaborar o plano de marketing? Hoje há várias formas de captar dados sobre o público de interesse da marca. Temos ferramentas digitais que podem ser usadas tanto na realização de pesquisas mais informais como para um monitoramento mais sofisticado sobre as citações feitas nas redes sociais.

A própria web é uma fonte importante de informações, seja para consultas às páginas que despertam o interesse do público ou para aproveitar as oportunidades de interação para colher dados sobre os clientes.

Crie uma persona

Nas estratégias de marketing digital, o recomendado é usar as informações para criar uma persona — personagem fictício que vai funcionar como a “voz” do consumidor internamente —, orientando, por exemplo, a produção de conteúdos mais adequados para ela.

Nesse caso, além dos dados geralmente usados para descrever o público-alvo, recomenda-se a realização de entrevistas com consumidores para entender melhor suas demandas e, assim, personalizar suas preferências.

Faça benchmarking

O termo em inglês é usado para definir a necessidade de reunir o máximo de informações possíveis sobre o segmento de atuação da empresa. A prioridade aqui é entender melhor o comportamento da concorrência e, principalmente, os modelos e práticas adotados no mercado.

O objetivo, claro, deve ser avaliar o que serve para o seu negócio e o que pode ser aprimorado para que a marca obtenha algum tipo de vantagem competitiva.

Na elaboração do plano de marketing, é importante mapear as estratégias empregadas pelas empresas líderes e também buscar exemplos de inovação nessa área.

Cuide do cronograma e do orçamento

Cuidado: não deixe que cronograma e orçamento sejam tratados como itens fictícios do plano de marketing. Trata-se de um erro comum na elaboração desse tipo de documento. Para que isso não ocorra, trabalhe com prazos que possam ser cumpridos e cobre que a execução seja feita dentro do planejado.

É claro que os ajustes podem — e devem — ser feitos, mas é essencial que haja o comprometimento da equipe, o que só vai acontecer se todos participarem do processo e tiverem conhecimento sobre os detalhes do plano de marketing.

Gostou do artigo? Entendeu a importância do plano de marketing e como elaborar um para a sua empresa? Tem alguma outra dica sobre o assunto? Deixe um comentário no post!